Sabe quando dá tudo errado? Mas tudo mesmo!

Já estou em Minas há mais de um mês. Vim até aqui por um milagre. Uma pessoa disse que Deus mandou que ela pagasse minha passagem pra cá, e eu vim. Saí de Porto Alegre para Belo Horizonte por fé. Sem lugar certo para ficar, dinheiro para me manter por poucos dias e, com a esperança de que, em uma semana, no máximo, estaria de partida para Moçambique.

Muito tempo já se passou e quase nada mudou. Ainda nem desfiz minha mala. Imaginei que nada mais pode dar errado, já estava no fundo do poço! Ao sentir o chão do fundo desse poço, como um cachorro, dei uma volta, e comecei a me habituar à situação que estava vivendo. No momento em que comecei a me conformar com o que estava vivendo, roubaram meu computador.

Eu disse que estava dando tudo errado, né?

Peguei meu violão e fui tocar, para esfriar a cabeça. Enquanto DIMINUIA a afinação do instrumento, uma das cordas arrebentou! Não me pergunte como isso aconteceu, não havia nem um mês desde que eu as comprara. Mas isso não é tudo. Havia comprado um pacote de biscoitos e um suco, daqueles que tem que fazer um furo na caixinha com o canudo para beber. Fiquei surpreso ao ver que faltou o canudo! Como abrir uma caixa pequena de papelão duro e toda em alumínio por dentro?

Essas situações me inspiram a murmurar. Diante disso, agradecer a Deus tem sido um desafio a ser alcançado. Mesmo assim, entendo que esse é o modo que Deus escolheu para trabalhar em minha vida, só não entendo porque escolheu esse modo tão doído (acho que é porque tem sido prazeroso). Estava com medo de relatar essa história aqui e ficar com cara de murmuração, mas encontrei um excelente final para ela.

Eu disse que o que estou vivendo tem sido difícil, mas tem sido prazeroso. Para não ser interpretado como masoquista vou tentar explicar o paradoxo no “prazer por passar por aflições”.

Consegui aprender a ver Deus agindo nas pequenas coisas. Em uma oferta de R$ 50,00 que recebi, ou em algumas vezes em que pagaram minhas refeições. Se colocarmos na balança: “não ter hospedagem, dinheiro, um computador roubado” junto com “R$ 50,00 e umas 5 refeições”, parece que está dando tudo errado, Mas o que está pesando nessa balança não é o QUE foi feito, mas QUEM fez. Enquanto olho para o mal que algumas pessoas fizeram (ou o bem que deixaram de ter feito), o cuidado de Deus pesa mais.

Foi assim que ao sair para esfriar a cabeça e tocar violão, pude ver o cuidado de Deus na conversa que tive com minha ex-professora de Teologia Contemporânea e com uma senhora que conheci no Palácio das Artes, me contando sobre a Biografia de George Müller.

Vou deixar a conclusão deste Post para o próximo Post. Para não ficar tão grande, e porque tem a ver com o assunto. Beijos.

Anúncios

Sobre amentedoperegrino

Este é o Blog Oficial de Rafa Cardias. Aqui, pessoalmente, ele compartilha de seu dia a dia com Deus, sobre sua vida ministerial e sobre o
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s